São Paulo, SP 6/4/2021 – Os PFAS têm sido uma preocupação ambiental porque eles não se degradam no meio ambiente, podem se mover através do solo e contaminar fontes de água potável.

Os PFAS são produtos químicos amplamente produzidos desde a década de 1940, muitos desses químicos usados em muitos produtos de consumo, sendo a maioria das pessoas exposta a eles.

As substâncias per-e polifluoroalquil (PFAS) são um grupo de produtos químicos artificiais – chamados de contaminantes emergentes – que inclui o ácido perfluorooctanóico (PFOA), ácido perfluorooctanossulfônico (PFOS), GenX e muitos outros produtos químicos.

Essas substâncias foram fabricadas e utilizadas em uma variedade de indústrias mundialmente, inclusive nos EUA desde a década de 1940.

Os PFAS são encontrados em uma ampla gama de produtos de consumo que as pessoas usam diariamente, assim a maioria das pessoas foi exposta ao PFAS.

O PFAS na água potável é uma questão emergente importante em todo o mundo, uma vez que foram utilizados em escala global, e como são solúveis em água, com o tempo, os PFAS de algumas espumas de combate a incêndios, locais de fabricação, aterros sanitários, derramamentos, deposição de ar de fábricas e outros vazamentos podem se infiltrar nos solos superficiais e podem lixiviar para as águas subterrâneas e/ou superficiais e pode contaminar a água potável.

Onde geralmente são encontrados:

• Alimentos embalados em materiais contendo PFAS, processados com equipamentos ou cultivados em solo ou água contaminados por PFAS.
• Produtos domésticos comerciais, incluindo tecidos repelentes a manchas/água, produtos antiaderentes (ex.: Teflon), polidores, ceras, tintas, produtos de limpeza e espumas de combate a incêndios (uma importante fonte de contaminação de solos e águas subterrâneas em aeroportos, indústrias, empresas de energia e bases militares onde treinamento de combate a incêndios ocorre).
• Local de trabalho, incluindo instalações ou indústrias de fabricação (ex.: cromeação, fabricação de eletrônicos ou recuperação de óleo) que podem usar PFAS.
• Água potável, normalmente localizada e associada a uma instalação específica (ex.: fabricante, aterro, estação de tratamento de águas residuais, instalação de treinamento combate a incêndios).
• Organismos vivos, incluindo peixes, animais e humanos, onde o PFAS tem a capacidade de se bioacumular ao longo do tempo.
Os produtos químicos PFAS mais produzidos e estudados são PFOA e PFOS. Certos PFAS podem se acumular e permanecer no corpo humano por longos períodos de tempo, sendo que há evidências de que a exposição a PFAS pode levar a resultados adversos para a saúde em humanos.

Ambos os produtos químicos são muito persistentes no ambiente e no corpo humano, ou seja, que eles não se decompõem facilmente e podem bioacumular-se por um longo período de tempo.

Estudos indicam que o PFOA e o PFOS podem causar efeitos reprodutivos e de desenvolvimento, no fígado e nos rins, e imunológicos em animais de laboratório. Ambos os produtos químicos causaram tumores em animais. As descobertas mais consistentes são níveis aumentados de colesterol entre as populações expostas, com descobertas mais limitadas relacionadas a:

• Baixo peso infantil ao nascer,
• Efeitos no sistema imunológico,
• Câncer (PFOA), e
• Interrupção do hormônio da tireoide (PFOS).

Fontes: CDC, MassDEP, OECD, UNEP e U.S.EPA.

A GreenView lembra que para a realização dos estudos de investigação de áreas contaminadas é necessária a contratação de empresa de consultoria ambiental, com corpo técnico composto por profissionais habilitados e capacitados. Consulte mais informações em https://greenviewgv.com.br/

Em caso de dúvidas, ou para maiores informações relacionadas investigação de áreas contaminadas com PFAS, basta acessar o website: https://greenviewgv.com.br/

Website: https://greenviewgv.com.br/

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui